A renda fixa não morreu: 6 motivos para investir ainda em 2020

Share on facebook
Facebook
Share on twitter
Twitter
Share on linkedin
LinkedIn

Você acredita que investir na renda fixa em 2020 não vale mais a pena?

Em 2020, a renda fixa atingiu o patamar de juros mais baixos da história, após quedas frequentes na taxa Selic. O objetivo destes cortes é controlar a inflação e assegurar uma economia nacional mais estável.

Mas, será que a renda fixa, de fato, morreu? Ou será que esse tipo de investimento, que oferece segurança e rendimentos mais estáveis, ainda pode fazer ainda parte do portfólio de qualquer investidor?

Para ajudar você a entender a importância da renda fixa na carteira dos investidores, preparamos este artigo. Continue a leitura para entender por que a renda fixa não morreu e conferir 6 motivos para começar a investir em produtos de renda fixa ainda este ano.

Boa leitura!

1. Rende mais que a poupança

A rentabilidade da caderneta de poupança varia de acordo com a taxa Selic. Quando ela é superior a 8,5% ao ano, a poupança rende 0,5% ao mês mais a Taxa Referencial (TR) — que está em 0% desde 2017.

Quando a Selic é igual ou menor a 8,5%, a poupança tem um rendimento de 70% da taxa, acrescido da TR. Por isso, a queda na Selic afeta diretamente a rentabilidade da caderneta, que passa a pagar menos.

Em renda fixa, é fácil encontrar produtos que oferecem rentabilidades maiores do que a poupança – como os títulos do Tesouro, CDB, LCI, LCA, CRI, CRA, entre outros. Além disso, alguns dos investimentos têm rentabilidade diária – o que aumenta o poder dos juros sobre o montante acumulado.

Na poupança, por outro lado, o dinheiro rende apenas uma vez ao mês. Se você retirar o valor depositado antes da data em que os juros entrarão, não vai receber nenhum rendimento.

2. Tem alta liquidez e segurança

Um investimento com liquidez diária permite que você resgate o dinheiro quando quiser. Com isso, em pouco tempo, o valor poderá voltar para a sua conta caso seja necessário. Nesse sentido, a renda fixa oferece muitas oportunidades.

É possível encontrar investimentos com liquidez bastante elevada, como acontece com alguns Certificados de Depósito Bancário (CDBs) e com o Tesouro Selic, por exemplo. Nestes casos, o seu dinheiro fica livre para você resgatá-lo quando precisar.

Outro ponto importante é que, em geral, as aplicações de renda fixa são muito seguras. A maior parte dos produtos é protegida pelo Fundo Garantidor de Crédito (FGC).

Se o banco em que você aplica falir, o fundo garante o reembolso de até R$250 mil por CPF por instituição financeira, até um limite global de R$ 1 milhão renováveis a cada 4 anos.

E, embora não tenham a proteção do FGC, vale destacar que os títulos do Tesouro são os investimentos mais seguros do Brasil. Afinal, eles contam com a garantia do Governo Federal.

3. Adequada a objetivos de curto e médio prazo

Você já tem uma reserva de emergência? Em momentos de crises financeiras ou adversidades, é comum precisar recorrer às suas economias. Por isso, é fundamental ter dinheiro aplicado em um investimento seguro e com alta liquidez.

Nesse sentido, investir em renda fixa pode ser a melhor maneira de proteger o seu patrimônio quando o objetivo não é necessariamente ter alta rentabilidade. É importante que a sua reserva de emergência tenha, em média, seis vezes o valor que você gasta mensalmente com despesas fixas.

Por esse motivo, a renda fixa será sempre importante tanto para quem está construindo patrimônio quanto para quem já tem um bom portfólio de investimentos. Qualquer tipo de investidor que tenha objetivos de curto e médio prazo que exigem maior segurança, portanto, pode contar com esses títulos.

4. É simples de aplicar

Quem começa a investir no mercado financeiro costuma ficar confuso com tantos termos e possibilidades do mercado. Mas não é necessário ter tanto medo de se aventurar pelas oportunidades da renda fixa. Existem muitas opções de títulos simples de entender e de aplicar.

Nas opções prefixadas, por exemplo, você sempre saberá exatamente quanto receberá no final do prazo estabelecido. Portanto, de maneira geral, investir na renda fixa pode ser uma alternativa interessante para quem busca por previsibilidade e simplicidade.

E, depois de conhecer melhor as taxas de juros e as variações da inflação, existem outros caminhos para seguir. Uma opção é passar para investimentos pós-fixados. Assim, é possível adquirir novos títulos e diversificar a sua carteira.

São muitas as opções prefixadas, pós-fixadas e híbridas disponíveis na renda fixa. Tanto entre títulos públicos quanto títulos privados.

5. Possibilita não perder dinheiro para a inflação

Em 2020, os constantes cortes na taxa Selic fizeram com que ela chegasse ao seu patamar mínimo histórico. Neste ano, o valor chegou a 2,25% ao ano. Embora os juros baixos sejam importantes para a economia, você já sabe que eles podem representar menores rendimentos para quem investe em renda fixa.

Apesar disso, há ainda diversas opções de títulos no mercado que permitem que o investidor não perca dinheiro para a inflação – tanto no curto prazo quanto no longo prazo. É o caso, por, exemplo, dos títulos do Tesouro IPCA – que garantem ao investidor a inflação mais uma taxa fixa de remuneração.

O momento é de focar, portanto, no retorno real dos títulos. Isso significa que não basta entender que um investimento prefixado oferece uma taxa de 3% ao ano, por exemplo. Também é necessário descontar a inflação desse valor – e eventuais custos com Imposto de Renda.

Ainda assim, tenha em mente que muitos títulos de renda fixa permitem ao investidor manter a segurança da sua carteira sem, portanto, perder poder de compra devido à inflação.

6. Permite diversificar a carteira

A renda fixa e variável são diferentes em diversos fatores. Até mesmo investidores que toleram riscos maiores e já investem em ações ou em fundos de investimentos de maior risco, por exemplo, podem manter a renda fixa na carteira. Mesmo que em menores proporções.

Esse tipo de aplicação ajuda a amenizar os riscos de investimentos mais arrojados e oferece segurança para objetivos mais próximos. Por isso, é sempre importante manter um portfólio diversificado e não colocar todo o seu dinheiro em risco.

Após acompanhar este post e os 6 motivos para investir em renda fixa ainda em 2020 ficou mais fácil perceber que a renda fixa não morreu, certo? Afinal, ainda pode fazer muito sentido ter esse tipo de produto na sua carteira de investimentos – independentemente do seu perfil de investidor. O importante é sempre respeitar os seus objetivos.

Por isso, na hora de compor o seu portfólio, não deixe de considerar as informações que trouxemos no artigo! Em, em caso de dúvidas sobre as melhores opções de investimento na renda fixa para a sua carteira, não deixe de entrar em contato conosco!


Veja mais artigos em nosso blog