Come-cotas: o que é e como funciona a tributação dos fundos?

Se você pretende investir em fundos de investimento, fique atento ao come-cotas. Entenda agora sobre essa forma de recolhimento antecipado de IR!

Os fundos de investimento podem ser uma boa alternativa de investimento para diversos investidores. Além de auxiliar na diversificação do portfólio, eles contam com um gestor que administra os investimentos. Assim, há praticidade ao investir. Contudo, é preciso conhecer o come-cotas.
Nem todos os fundos de investimento contam com o come-cotas, mas quem investe nessa modalidade precisa conhecer o termo. Afinal, o Imposto de Renda pode incidir antecipadamente em parte dos fundos disponíveis no mercado.
Neste artigo você descobrirá o que é o come-cotas, como ele funciona e quais os fundos que sofrem a incidência dessa cobrança. Não deixe de acompanhar!

O que é o come-cotas?

Come-cotas é um termo dado ao recolhimento antecipado de Imposto de Renda em relação à rentabilidade de alguns fundos. Geralmente, sua aplicação está atrelada aos fundos de curto ou longo prazo.
O recolhimento de IR é antecipado como forma de assegurar o recebimento dessas quantias à Receita Federal. Isso porque não há como o fisco saber exatamente quando o investidor liquidará sua posição naquele investimento.

Como ele funciona?

O processo de recolhimento do come-cotas acontece duas vezes por ano – a primeira no final de maio e a segunda no final de novembro. O interessante é que o investidor não precisa fazer nada, uma vez que o imposto é retido automaticamente da fonte, sendo abatido das cotas que possui — como você entenderá mais adiante.
Em relação à alíquota de recolhimento, é preciso saber que ela depende do prazo do fundo. Quanto maior for o prazo, menor será a taxa do come-cotas.
Veja!

Fundo de curto prazo

Nos fundos classificados como de curto prazo, incide uma alíquota de Imposto de Renda de 22,5% para investimentos de até 180 dias, e 20% em aplicações que excedam os 180 dias. Contudo, o come-cotas é sempre cobrado pela menor alíquota: 20%.

Fundo de longo prazo

Nos fundos classificados como de longo prazo, a alíquota de IR respeita uma tabela regressiva:

  • 22,5% para investimentos de até 180 dias;
  • 20% entre 181 a 360 dias;
  • 17,5% entre 361 a 720 dias;
  • 15% para mais de 720 dias.

Nestes casos, a alíquota do come-cotas será de 15%.

Exemplo prático

Para entender como se dá a tributação dos fundos pelo come-cotas, vamos a um exemplo prático.
Imagine que, em abril, você tenha comprado 1.000 cotas a R$ 1,00 cada de um fundo de investimento que tem a incidência do come-cotas na alíquota de 20%. Agora, suponha que, em maio, cada cota esteja valendo R$ 1,50, e assim você teria R$ 1.500,00, mantendo as 1.000 cotas.
Ao virar o mês, você percebe que o número de cotas caiu para 933, e agora você possui cerca de R$ 1.400 investidos (933 x R$ 1,50). Isso se deu em razão do come-cotas, que consumiu 20% (R$ 100,00) da rentabilidade do seu investimento.
Então, embora você tenha mais dinheiro que no início, o número de cotas é menor. Agora faz mais sentido ele ser chamado de come-cotas, não é mesmo? A cobrança se dá pelo desconto nas cotas.

Quais os fundos de investimento sobre os quais incidem o come-cotas?

Ao chegar até aqui você já conheceu um pouco mais sobre o come-cotas e seu funcionamento. Que tal verificar quais são os fundos de investimento que contam com a incidência dele?
Confira!

Fundos de renda fixa

Os fundos de renda fixa são aqueles que contam com grande parte de seu patrimônio aplicado em títulos do Tesouro Nacional ou ativos de renda fixa. Por exemplo, debêntures, certificados de depósito bancário (CDBs), entre outros.

Fundo de crédito privado

Os fundos crédito privado investem a maior parte do patrimônio em títulos de crédito privado. Entre os títulos investidos encontram-se a LCI e LCA (letra de crédito imobiliário e do agronegócio) o CRI e CRA (certificados de recebíveis imobiliários e do agronegócio), além de debêntures.

Fundos multimercados

Os fundos multimercados são fundos que contam com uma flexibilidade maior de escolha entre ativos e derivativos. Com isso, ele pode investir em ações, câmbio, renda fixa, investimentos estrangeiros, contratos futuros, opções e assim por diante.

Fundos de ouro

Os fundos de ouro, tal qual se pode imaginar, tem grande parte do seu patrimônio investido em ouro ou em títulos que estão atrelados ao metal, ainda que indiretamente. Alguns deles também reservam parte do capital para o investimento em moedas internacionais.

Fundos cambiais

Os fundos cambiais contam com um portfólio direcionado às moedas estrangeiras, especialmente à moeda norte-americana e a europeia. Eles investem em ativos e derivativos que têm exposição cambial.

Fundos DI

Os fundos DI, são fundos de renda fixa que tentam reproduzir uma rentabilidade próxima a do CDI (Certificado de Deposito Interbancário). Para fazer isso, investem em ativos que possuem relação com à taxa Selic – que é a taxa básica da economia, muito próxima ao CDI.

Quais fundos de investimento são isentos de come-cotas?

Embora o come-cotas esteja presente em grande parte dos fundos de investimento, nem todos apresentam essa forma de cobrança. Por exemplo, os fundos de ações e fundos previdenciários possuem outra estratégia de pagamento de Imposto de Renda.
O mesmo acontece com os fundos imobiliários e fundos de índice, negociados na bolsa de valores. Nesse caso, o Imposto de Renda incide sobre o ganho de capital e também é pago de outra forma.

Quais as vantagens e desvantagens do come-cotas?

Entre as vantagens do come-cotas pode ser apontada a praticidade, pois, sua incidência se dá de forma automática. Enquanto isso, há operações de renda variável que exigem que o recolhimento de impostos seja feito pelo próprio investidor – que precisa calcular, preencher e pagar guias.
Assim, um eventual preenchimento incorreto ou recolhimento menor é capaz de fazer com que o investidor tenha problemas com o fisco e precise pagar multas. Então, investir em fundos de investimento que tenha a incidência do come-cotas fará com que você evite esse tipo de situação.
Entre as desvantagens, vale saber que o come-cotas reduz o potencial de rentabilidade do investimento. Como ele é cobrado a cada 6 meses, consome parte das cotas que poderiam contribuir para gerar mais rendimento ao longo do tempo.
Ao conhecer o come-cotas nos fundos de investimento você conseguirá tomar decisões mais acertadas na hora de investir. Contudo, ele não deve ser o único fator de decisão, uma vez que é preciso avaliar outras questões, como o seu perfil de investidor, objetivos, estratégias e taxas para escolher seus investimentos.
Você precisa de orientação para conhecer os investimentos disponíveis no mercado? Contate os assessores da Elev Investimentos. Nossa equipe está preparada para atendê-lo!