Como escolher as melhores ações para investir hoje?

Você sabe o que considerar para escolher as melhores ações para investir? Entenda aqui os fatores mais importantes para essa decisão!

Quem busca boas oportunidades de aportes pode se perguntar como escolher as melhores ações para investir. Mas, na verdade, não há uma resposta correta e que sirva para todos os investidores com certeza.
As pessoas têm objetivos financeiros e perfis diferentes, então não é possível padronizar as escolhas. Contudo, você pode encontrar ações que sejam adequadas para suas características, se considerar alguns fatores importantes para a decisão.
Neste conteúdo, você conhecerá os pontos que deve ponderar para escolher as melhores ações para investir e compor um portfólio cada vez mais sólido. Continue a leitura e descubra!

Conheça seu perfil de investidor

O primeiro fator que você deve ter em mente para escolher ações é o seu perfil de investidor. Já ouviu falar nesse conceito? Ele ajuda a entender como cada investidor lida com os riscos. Assim, pode ajudar a embasar as decisões.
Os perfis são divididos em três tipos: conservadores, moderados e arrojados (também conhecidos como agressivos). Entenda cada um deles:

Conservadores

Os conservadores são aqueles investidores que têm menos tolerância aos riscos dos investimentos. Logo, eles preferem aportes mais seguros e previsíveis, ainda que isso limite as possibilidades de ganhos.

Moderados

Já os moderados também focam na segurança. Contudo, conseguem suportar alguns riscos, principalmente a longo prazo. Então, se há uma boa oportunidade com expectativa de rentabilidade, podem arriscar mais que os conservadores.

Arrojados

Por último, os arrojados são aqueles que têm mais abertura aos riscos atrelados a investimentos. Dessa maneira, eles buscam potencializar a rentabilidade, ainda que isso retorne uma insegurança mais alta. Logo, podem se interessar bastante por ações.
Por ser um investimento de renda variável, as ações possuem mais riscos que alternativas de renda fixa. Assim, o aporte em papéis não oferece previsibilidade em relação aos ganhos — e há possibilidades de prejuízo. Por outro lado, o potencial de rentabilidade é maior.
Dessa forma, investidores moderados e arrojados costumam considerar essa alternativa. Entretanto, não significa que os conservadores devem evitar completamente as ações. Eles podem investir parte da carteira, fazendo uma boa análise para reduzir riscos.
Com essa estratégia, o investidor mais conservador — ou aquele que está dando os primeiros passos nesse mercado — não compromete grande parte de seu patrimônio com as ações. Isso traz mais segurança e ajuda a ganhar experiência na área.

Defina os seus objetivos

Depois de conhecer qual é o seu perfil de investidor, é fundamental que você estabeleça objetivos financeiros. Aqui é preciso definir o que deseja alcançar com os investimentos e qual é o prazo para cada uma das metas.
Esses desejos embasam suas decisões e ajudam a definir quais ações são as melhores para você investir. Afinal, os aportes que se alinham com os objetivos definidos pelo investidor são aqueles que devem ser priorizados no momento de decisão.
Portanto, faça uma lista com as suas metas. Lembre-se de focar em desejos concretos e que podem ser quantificados. Por exemplo: quero me aposentar em 20 anos e, para isso, preciso obter uma renda passiva de R$ 5.000 mensais.
Claro que esses objetivos podem ser revistos e adequados com o passar do tempo, para atualizá-los. Contudo, é importante delimitá-los conforme a sua realidade, expectativas e possibilidades no presente. Também não se esqueça de definir um prazo específico.
A sua estratégia de investimento em ações dependerá do tempo em que você quer conquistar seus objetivos. Além disso, tenha cuidado para não definir metas muito ambiciosas sem considerar seu patrimônio e capital disponíveis. Começar com planos menores pode ser uma boa ideia.

Entenda suas preferências

Um ponto que muitos investidores não consideram ao escolher as ações é entender quais são suas preferências. Ou seja, que áreas da economia você gosta mais, a quais setores está mais ligado, de qual marca é consumidor rotineiramente etc.
Essa convivência com as empresas ou setores no dia a dia também pode embasar suas decisões de investimento. Apesar de não ser um fator determinante, ela pode ajudar a manter mais segurança no aporte, por conhecer a empresa e o seu segmento.
Assim, se você quer escolher as melhores ações para investir, considere fazer aportes naquelas empresas que você tem contato. Seja no trabalho, no dia a dia ou mesmo como consumidor. Essa pode ser uma estratégia para ficar mais próximo dos investimentos e entender melhor os resultados.

Conheça as estratégias de análises existentes

Para basear as decisões de investimentos ou para avaliar tendências e perspectivas, é comum fazer análises de ações. Essas avaliações se dividem em dois tipos: a técnica e a fundamentalista.
A análise técnica foca nos próprios papéis e nas oscilações de preços dos ativos. Por isso, é mais utilizada por especuladores, com o objetivo de avaliar a movimentação das cotações, determinar padrões e tendências.
Ela costuma estar atrelada a operações de curto e curtíssimo prazo. No day trade, por exemplo, a compra e venda ocorre no mesmo pregão. Por outro lado, a análise fundamentalista prioriza a avaliação das empresas e seus fundamentos.
Nesse caso, o foco é em médio e longo prazo. Para isso, a análise não avalia os preços, e sim os resultados operacionais e a gestão da companhia. Assim, ela se baseia em indicadores fundamentalistas, como o balanço patrimonial, o patrimônio líquido etc.
Conhecendo essas análises você poderá aplicá-las às suas decisões. Se o seu objetivo é conseguir ganho em operações de curto prazo, deve aprender a avaliar gráficos de forma técnica. Contudo, se o foco é no longo prazo e aumento de patrimônio, a análise fundamentalista é mais indicada.

Acompanhe uma carteira recomendada

Vale destacar que quem não deseja fazer uma análise aprofundada de ações para investir pode acompanhar uma carteira recomendada. Elas representam recomendações de ações feitas por analistas de investimentos.
Logo, você não precisa avaliar as ações sozinho e nem decidir por conta própria. Basta analisar as carteiras, considerando a estratégia e os objetivos estabelecidos, para decidir qual seguir. Depois, só precisa fazer as compras e vendas indicadas pelo analista para se expor aos resultados da carteira.
Neste post, foi possível aprender como escolher as melhores ações para investir hoje! Como você viu, é fundamental considerar características pessoais nessa decisão. Então, não siga recomendações sem avaliar todos esses pontos que acompanhou até aqui.
Quer contar com uma assessoria para esclarecer suas dúvidas sobre investimentos? Entre em contato conosco!