Como investir em ações? 8 Passos para começar!

Se você quiser participar da bolsa de valores, saber como investir em ações é essencial. Conheça 8 passos para aproveitar o mercado!

Além da renda fixa, os investimentos de renda variável podem fazer parte da sua estratégia de alocação. Entre as principais alternativas está o mercado acionário, com centenas de oportunidades disponíveis. Antes de aproveitá-las, entretanto, é preciso saber como investir em ações.
Muito além das questões operacionais, você deve entender como se planejar, como o investimento funciona e como tomar as decisões sobre o seu portfólio. A partir disso, é possível colocar sua estratégia em prática.
Na sequência, conheça 8 passos para começar a investir em ações e saiba como aproveitar essa oportunidade, caso esteja alinhada às suas necessidades.
Acompanhe!
 

1. Conheça seu perfil de investidor


Antes de fazer qualquer tipo de investimento é preciso saber quais riscos você está disposto a correr. Portanto, não comece a investir em ações sem identificar qual é o seu perfil de investidor.
Você poderá ser classificado entre conservador, moderado ou arrojado, indo do menor ao maior apetite ao risco. No geral, a compra de ações envolve um risco de moderado a alto, então é necessário avaliar se a alternativa está alinhada à sua tolerância a esse nível de risco.
 

2. Entenda seus objetivos financeiros


Outro passo essencial consiste em definir quais são os seus objetivos financeiros e, em especial, em relação ao investimento em ações. É nesse momento em que se define qual o patrimônio que deseja consolidar — e qual é o prazo dos seus investimentos.
Ao considerar adquirir ações da bolsa de valores você deve entender que, visando o manejo de risco, essa é uma alternativa de longo prazo. Logo, a ideia é manter os papéis por mais tempo na carteira para se expor menos à volatilidade.
É preciso dispor de um período maior para que as mudanças e melhorias nas empresas se consolidem e impactem positivamente nos preços das ações. Então, se o seu objetivo for obter lucro em pouco tempo, essa alternativa pode não ser a mais adequada.
 

3. Monte uma reserva de emergência


Ainda no planejamento, você deve cuidar do seu orçamento para que imprevistos não atrapalhem sua estratégia de investimento, que deve ser consistente. Por isso, é recomendado montar uma reserva de emergência.
Ela deve ser equivalente a 6 meses dos seus gastos médios, para que você possa se manter em caso de imprevistos. Para juntar o dinheiro necessário, elabore um planejamento financeiro robusto e que preveja a economia. Ao final, a reserva oferecerá mais tranquilidade e segurança para seus aportes.
 

4. Conheça as ações para saber como investir


Partindo para o investimento em ações, especificamente, é essencial saber como elas se caracterizam e como todo o processo funciona. As ações são a menor parte negociável do capital social da empresa e são disponibilizadas na bolsa de valores.
Ao comprar os papéis, você se torna acionista da companhia de capital aberto e passa a ter direito aos resultados. Como visto, o foco no investimento está no longo prazo, já que é preciso tempo para o investimento maturar. É diferente de quem deseja especular na bolsa — com maiores riscos.
O rendimento das ações pode decorrer de vendas lucrativas por um preço acima da compra ou por meio de proventos distribuídos. Entre eles, estão dividendos, juros sobre capital próprio (JCP), direitos de subscrição e outros.
Quanto aos riscos, o de mercado é o mais relevante. Ele se dá pelo fato de os preços das ações poderem flutuar significativamente, dependendo das condições de mercado. Quanto maior for a oscilação, maior será a volatilidade e menor será a segurança.
 

5. Saiba quais são os tipos de ações disponíveis


Após entender os conceitos gerais sobre investir em ações, é importante conhecer os tipos desses papéis e como eles se diferenciam. Há, por exemplo, as ações ordinárias (ON), que dão direito ao voto na tomada de decisão das empresas.
As ações preferenciais (PN) não têm direito ao voto, mas recebem prioridade no pagamento de dividendos. Já as units são como pacotes formados por uma proporção entre ações ordinárias e preferenciais.
Elas costumam ser negociadas com preços diferentes e também têm códigos de identificação distintos na bolsa. Por isso, é preciso tomar cuidado para selecionar a alternativa mais alinhada às suas necessidades.
 

6. Faça uma análise fundamentalista


Na hora de escolher quais ações receberão seu investimento para o longo prazo, vale a pena utilizar uma técnica conhecida como análise fundamentalista. Ela consiste em conhecer e avaliar os fundamentos do negócio, ou seja, quais são os pilares de sua atuação.
A ideia é fazer uma avaliação da saúde financeira atual, além de considerar as perspectivas para o futuro. Com isso, é viável selecionar empresas financeiramente saudáveis e que aparentam ser capazes de permanecerem no mercado.
Nessa análise, são utilizados balancetes e dados divulgados, além de outros indicadores fundamentalistas. Em geral, a avaliação é feita a partir de um conjunto de fatores, para que a visão acerca do negócio seja completa e mais precisa possível.
Também existe a chance de comparar os resultados de empresas de um mesmo setor. Assim, há como saber quais são as principais alternativas em cada segmento, por exemplo. E fazer uma escolha mais acertada.
 

7. Conte com uma boa instituição financeira


Com as informações que acompanhou até aqui, você já sabe como investir em ações. Porém, só será possível acessar as oportunidades disponíveis no mercado por meio de uma instituição financeira, como um banco de investimentos.
Portanto, é necessário abrir sua conta para poder negociar na bolsa. A partir disso, você poderá acessar o home broker da instituição e emitir as ordens de compra e venda de um determinado ativo. Logo, é fundamental aproveitar o apoio e a estrutura de uma boa instituição.
 

8. Tenha ajuda de uma assessoria de investimentos


Para não ter dificuldades de entender como investir em ações, faz sentido buscar ajuda profissional. Nesse caso, recorrer à assessoria de investimentos pode ser o melhor caminho para fazer escolhas de maneira mais informada.
Os assessores estão prontos para tirar suas dúvidas, apresentar oportunidades, explicar estratégias e ajudá-lo com as operações, se você solicitar. A decisão final e a realização do investimento continuam sob sua responsabilidade, mas haverá maiores informações para se basear.
Com as 8 dicas que trouxemos neste post, você já sabe como investir em ações e aproveitar esses ativos. Antes de escolher, no entanto, não esqueça de avaliar se os aportes fazem sentido para seu perfil de investidor e objetivos!

Se quiser contar com profissionais qualificados e que podem ajudá-lo a dar os primeiros passos na bolsa de valores, entre em contato conosco da Elev Investimentos!