O que são títulos de dívida e como funcionam?

Você tem um perfil conservador ou busca investimentos de renda fixa? Já considerou investir em títulos de dívidas? Saiba como elas funcionam!

Apesar de não ser a opção mais vantajosa, muitos brasileiros ainda têm dinheiro guardado na caderneta de poupança. Contudo, a rentabilidade pode não ser satisfatória. E uma alternativa para aproveitar melhor seus recursos é investir em títulos de dívida.
Sejam títulos de dívida pública ou privada, esses investimentos podem ajudar a ter uma carteira de investimentos diversificada. Além disso, eles oferecem diferentes formas de rentabilidade e se adequam a todos os tipos de perfis.
Portanto, não perca as informações deste artigo. Nele, você conhecerá o que são os títulos de dívida e quais são os principais títulos disponíveis no mercado. Acompanhe!

O que são títulos de dívida?                                                              

O mercado financeiro conta com uma grande variedade de ativos. Entre os mais conhecidos estão as ações. No entanto, comprar papéis de empresas listadas em bolsa de valores demanda um risco maior — que nem todos estão dispostos a correr.
Logo, uma alternativa de investimento relacionado a empresas, para quem não quer se submeter aos riscos da renda variável, é investir em títulos de dívida corporativa. Muitas vezes, quando uma empresa precisa levantar recursos para custear suas operações, ela emite aplicações.
Quem compra um título de dívida se torna credor da companhia que o emitiu. Assim, a emissora consegue levantar o valor que precisa para financiar os seus projetos, ao passo que o investidor é remunerado por ter investido naquele título.
O interessante é o que Governo Federal também trabalha com a emissão de títulos de dívida. Quando o Governo pretende financiar uma obra, investir em infraestrutura, segurança, lazer etc., sem precisar aumentar impostos, ele faz emissão de títulos da dívida pública.
Em ambos os casos, as aplicações funcionam como um tipo de empréstimo. Isto é, na data de vencimento do contrato, o emissor do título devolverá a quantia que foi pega emprestada somada a uma taxa de juros, conforme o combinado.

Quais suas principais características?

Uma das principais características dos títulos de dívida é o fato de a lógica de remuneração ser conhecida. Por exemplo, em uma taxa fixa ou embasada no CDI (certificado de depósito interbancário), na taxa Selic, no IPCA (índice de preços ao consumidor amplo), entre outros.
Outra característica tem relação com o fato de que eles integram o mercado de renda fixa. Eles podem ser adquiridos junto à plataforma do Tesouro Direto (no caso dos títulos públicos) ou através de uma plataforma de investimentos (no caso dos títulos privados), na área logada do seu banco de investimentos.
Ademais, os riscos desses investimentos são mais baixos, principalmente dos títulos públicos. Afinal, o Governo dificilmente deixará de pagar seus credores, o que faz seus títulos os mais seguros do mercado.
Já os títulos privados contam com risco um pouco maior. Isso porque a empresa pode ter problemas em pagar seus credores em caso de crises ou problemas de outra ordem. Então, é interessante avaliar a saúde da companhia antes de adquirir seus títulos de dívida.

Quais são os principais títulos de dívida do mercado?

Como você viu, os títulos de dívida podem ser públicos ou privados. Conheça agora quais são os principais tipos disponíveis no mercado:

Tesouro Selic

O Tesouro Selic é um título de dívida pública pós-fixado que está atrelado à taxa Selic. O Copom (Comitê de Política Monetária) se reúne para atualizar essa taxa a cada 45 dias. Assim, a rentabilidade do Tesouro Selic pode variar ao longo do investimento.
A vantagem de investir no Tesouro Selic está relacionada ao seu rendimento diário — assim como a alta liquidez. Isso significa que, mesmo se você fizer o resgate antecipado, conseguirá aproveitar parte da rentabilidade do investimento.
Por suas características, a aplicação nesse título do Tesouro Nacional é bastante comum para o investidor que está montando uma reserva de emergência ou uma reserva de oportunidade. Além disso, também costuma atender a investidores de curto ou médio prazo.

Tesouro Prefixado

O Tesouro Prefixado é o título de dívida em que a taxa de remuneração é fixa e determinada no momento da contratação. Ou seja, o investidor terá condições de calcular de modo prático qual será o retorno do investimento.
No entanto, por ter uma taxa fixa o Tesouro Prefixado está mais exposto aos efeitos da chamada marcação de mercado. Isto é, caso o investidor precise resgatar o investimento de forma antecipada, ele receberá o quanto o título está valendo no mercado.
Em alguns casos, isso pode representar a perda da rentabilidade ou de parte do capital investido. Outro ponto de atenção é que o Tesouro Prefixado pode pagar juros semestrais ou somente no final do investimento. Então, saiba escolher aquele que mais atende às suas necessidades.

Tesouro IPCA+

O último dos títulos de dívida pública é o Tesouro IPCA+, que é um investimento híbrido. Parte de seu rendimento está atrelado ao IPCA, e a outra parte a uma taxa prefixada. Assim, o investidor poderá cobrir a variação da inflação e contar com um percentual de rendimento fixo.
Via de regra, isso significa que o valor investido sempre estará acima da inflação. Em relação ao rendimento, ele também pode ter cupons semestrais ou ser pago ao final do investimento.
Em geral, podem ser boas opções para investidores de médio ou longo prazo — já que o investimento está exposto também à marcação a mercado.

Debêntures

Semelhante ao funcionamento dos Títulos do Tesouro, as debêntures representam um título de dívida emitido por uma empresa para angariar recursos no mercado. O dinheiro arrecadado normalmente é usado para custear alguma operação ou a expansão da companhia.
Existem diversos tipos de debêntures. Na modalidade simples, aquele que a comprou recebe o capital investido mais os juros, na data de vencimento do título. Nas conversíveis, o investidor pode receber ações da companhia. Nas permutáveis, é possível receber ações de outra empresa.
A última modalidade de debenture é a incentivada. Geralmente, elas são emitidas para custear projetos de infraestrutura. Por isso, apresentam o benefício de isenção do IR (Imposto de Renda) em relação à rentabilidade.
Aprendeu o que são títulos de dívida? Agora você poderá investir com maior tranquilidade em Títulos do Tesouro e debêntures. No entanto não deixe de avaliar o seu perfil de investidor e os seus objetivos antes de escolher!
Quer entender melhor as alternativas de investimento do mercado? Conte com a assessoria da Elev Investimentos!